• |
  • |
  • |

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

O náufrago (9)

O pescador por um momento se lembra de quando serviu a marinha - estava frio naquela noite e seu pés estavam enrugados, fora das botas, ele sentia a pressão do vento o tocar e o arrepiar. - Apenas seguia ordens. E neste tempo houve coisas questionáveis, das quais, ele não poderia dar um palavra sequer.

Será mesmo que fora nesse meio tempo que tudo isso aconteceu? Ele sequer contou o ano.





Além. No mar. -



27 de agosto. Meu relógio está sob a luz do Sol em um ponto alto, talvez pegue um pouco de carga ou volte a funcionar, eu não sei.

A sala escondia segredos. Uma sorte eu ter me formado no batalhão de operações especiais antes de entrar para o exército. Na verdade eu não queria muito entrar para o exército. Eles me tiraram do batalhão pelas minhas habilidades, e falaram que precisavam de mim. Por fim... onde eu estou agora.
"Estão precisando de mim agora?" - "EU ESTOU BEM AQUI!".
Adiante daquela porta havia algumas coisas escondidas para pegar algum bisbilhoteiro. Eu sei que já esperavam por mim - eu não sou idiota.
há duas questões, que são:
- "Se precisassem de mim morto, então por que raios eles não vieram me procurar e me matar?" e "Fazem armadilhas para me pegar como um rato. E também me questiono a razão." - Minha resposta para tudo vai ser uma simples frase que ouvi em um desses filmes de ação: "Se querem jogar esse jogo, então vamos joga-lo. E que vença o melhor". Vamos analisar as vantagens - Eu - contra dois países - fácil demais - ironia - vingança - aliados - nenhum - escapada.
Essas serão minhas palavras-chaves para conseguir ao menos sair daqui, e então o resto resolverei mais tarde.

Recolhi coisas explicativas como:
- Fotos da segunda e primeira guerra mundial. - Relatórios de antigos experimentos. - Nomes de equipes que fizeram o trabalho sujo. - Nome do líder de tudo. - Meu nome. - Portfólios de projetos antigos da organização "WSS-4", dos quais alguns, resolveram reativar. - Mapa de sala e setores dos mais variados tipos. - E um cartão de acesso a torre principal.
O resto foi alguns suprimentos que guardei em uma mochila improvisada com blusas e a calça e uma corda entrelaçando os dois.
O que me é estranho é essa sigla, "WSS-4". Só existem 3. Pelo menos foi o que me foi revelado.
As organizações "WSS", são setores altamente secretos do governo que funcionam como uma espécie de reação rápida de guerra. Como eu soube, agora vendo que é não está certo, funcionam em três estados:
ESTADO 01 - Supondo que uma guerra se alastraria no país, atravessando invisivelmente tudo e todos e quando menos se esperasse, *boom!, se tornariam uma ameaça em massa para o presidente e todo o resto do país. Eles "soltariam os pit bulls da coleira", e estes estariam famintos. Um exército agressivo e opressivo seria solto para deter os terroristas. Funcionavam como um batalhão especial de força opressora contra-oponente.
ESTADO 02 - Hipoteticamente, o batalhão falharia em seus deveres. Então este por sua vez, fariam parecer que o país perdeu, com direito a discurso presidencial de derrota e propostas de possíveis alianças (tinha que parecer convincente). E então este viriam silenciosamente, por trás de tudo e todos enquanto a atenção gananciosa de quem atacou (levando em conta que quando uma guerra acontecer, se não for para ganhar poder, então algo teriam de ganhar) estivesse voltada somente ao que quisesse ganhar, os "assassinos-ocultos" iriam executa-los ou bolar um plano para tudo voltar a ser o que era misteriosamente.
ESTADO 03 - Agora digamos que tudo falhou. A presidência e toda a segurança, incluindo tudo do país, sucumbiram. Então estes evacuariam os sobreviventes para alguma área privada do mundo onde os Estados Unidos já lotearam para abrigar uma parcela do país, e por fim... Soltaria um vírus em massa sem se preocupar com países vizinhos e iniciariam "uma guerra dentro da guerra", onde quem tem mais que o menos iriam sobreviver. E então com suprimentos para uma década inteira, e o mata-mata acontecendo do lado de fora de suas vistas, eles sobreviveriam sem tempo determinado. E ainda era possível existir amizades na base de "Trocas necessárias" que fariam entre um país e outro. Mas claro isso era mera especulação.

Mas e o WSS-4?

Novamente pronto-me a estudar para contar o que sei.
Espero que alguém leia.

E espero ainda estar vivo quando alguém ver.








Além do mar... Eu sei que alguém vai entender tudo isso. E dependendo da situação, provavelmente tentará me ajudar. Provavelmente.



2 comentários:

Postar um comentário

 

Rust Hill Copyright © 2010 | Designed by: compartidisimo