• |
  • |
  • |

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

névoa cerebral

E se... Dentro do seu cérebro existe algo que você jamais imaginou?



Já deve ter ouvido falar de pessoas que ficaram paralisadas temporariamente, ou que acabaram matando seu próprio cachorro ou executando algo bem pior. Quando acordavam paralisadas, as pessoas sentiam algo pressionando-os contra a cama, ou até mesmo sentiam que havia alguém sentado em cima delas. Acredita-se que isso seja obra de um espírito que se manifesta durante um pesadelo, e manipula todos pouco a pouco, mudando o seu comportamento físico e mental.
E durante os seus pesadelos houve casos de crimes, que variam desde assassinato até mutilação, ainda teve aqueles que cometeram suicídio. Quando eram postos no julgamento, o juízes colocavam culpa em sonambulismo, mas a real história até hoje ainda é um mistério.
Se você se encaixa nos que jamais escutaram essas histórias, então é recomendado ler para informa-se, mas se tem cabeça fraca para esse tipo de coisa, não leia, pois a partir do próximo parágrafo as coisas vão ficar mais interessantes.


Há um espírito que manipula pessoas durante os seus pesadelos mais sombrios. Muitos chamam de "bruxa velha", pois dizem que isso é obra de uma antiga bruxa que foi enforcada e depois queimada entre os séculos 15 e 18, e que ela faz isso para "vingar-se" dos seus assassinos, porém isso é só história.

Porém há algo mais... Uma espécie de névoa que paira sobre os corpos adormecidos, e transforma um pesadelo em algo real.

(Baseado em experiência relatadas)

Era meio dia de sexta, e eu e meus amigos estávamos combinando de ir ao cinema no sábado, assistir a estréia de um filme do escritor que eu mais gostava, tudo planejado, nós fomos.
Pós-filme foi aquele clima tenso de sempre,voltamos para casa no horário das 19:00 horas, e esperamos todos juntos na parada, pois morávamos na mesma rua,os meus amigos faziam piadas e brincadeiras para tentar assustar uns aos outros, alguns ficavam com medo, mas eu estava intrigado com o desfecho do filme, foi realmente assustador.
Era um grupo de 5 pessoas sem contar comigo, e decidimos que seria melhor dormirmos juntos na minha casa, pois já tinham dormido várias vezes por lá, e não havia problemas com meus pais.
Todos foram dormir, mas eu fiquei acordado por algumas horas até tomar "tentar" tomar o mesmo destino.

Foi aí que um de meus amigos, o que ficou com mais medo do filme, começa a se mexer e sussurrar coisas que não consegui escutar, neste mesmo momento eu estava disposto a acorda-lo, mas algo interrompeu minha ação. Uma névoa cinzenta que entrou pela janela que era perto de onde ele dormia, e logo que entrou em contato com a região da cabeça, simplesmente sumiu, e ele parou de sussurrar e se mexer.
Antes de dormimos minha mãe havia feito um lanche, pão com patê e suco,  e depois que comemos não deixamos os talheres na pia.
O meu amigo levantou com os olhos fechados, parecia que alguma força o controlava, daí ele pegou a faca que deixamos por cima do móvel junto com os copos,pratos e etc.
Na primeira oportunidade que teve, ele dilacerou o pescoço de um garoto que dormia, e fez isso com outros dois, só sobrava eu e mais outro que estava dormindo, enquanto os outros 3 se sufocavam nos próprios sangues com as mãos apertando o corte. Quando o momento me era oportuno, eu joguei meu travesseiro no colega que dormia no chão, o único que sobrou além de mim. De primeira ele acordou meio sonolento, porém quando a porta abriu sozinha com o vento, e ficou entreaberta, a luz da lâmpada do corredor que sempre ficava acessa, iluminou um sorriso sombrio do rosto de o que era o meu amigo empunhando uma faca, com seu rosto, metade iluminado e metade na completa escuridão, e um de seus olhos completamente fechado, como se não precisasse abrir para executar alguém, e lhe fosse tão natural quando beber um copo de água em um dia quente. Assim que meu outro colega no chão viu essa cena, pulou para onde eu estava, e pegamos o que havia mais perto para se proteger.
Aquele assassino que estava ali em pé, em uma rápida corrida pegou um travesseiro e pulou em cima do meu amigo, que logo reagiu e rolou no chão juntamente com ele, mas não pareceu que sua reação surtiu efeito, pois ele tinha uma força descomunal e logo apoiou seus braços por cima do travesseiro e e empurrou até conseguir completar o que queria fazer, e depois de asfixiar, deu uma série de facadas, uma atrás da outra, como se quem estava deitado no chão fosse apenas um saco de espuma.
Ele levantou, olhou para mim, sorriu e disse " sua vez garotinho ", eu pulei por cima da cama e corri para o corredor, e logo ele me perseguiu, desci as escadas no escuro, e corri em direção ao jardim, peguei uma pá que meu pai costumava usar e sempre deixava encravada na terra, e quando me dei conta, POW!, lá estava ele em pé atrás do vidro com uma faca na mão, uma cena tão assustadora quanto a aparição de um monstro no filme que assisti, abriu a porta de vidro lentamente, e me chamou com a mão que segurava a faca, como se quisesse me chamar para um duelo.
Não havia para onde correr, eu andei em direção errada e onde cheguei , eu estava encurralado.
Ele correu em direção a mim com a faca, e no primeiro contra-golpe que fiz o derrubei com a pá,
e enquanto estava no chão ele encravou a faca na minha panturrilha, e quando ia dar o último golpe para acerta-lo em cheio na cabeça, ele segura a calça que eu dormia, e fala como se nada estivesse realmente acontecido, "amigo, por que está fazendo isso comigo?", mas ao mesmo tempo aquela imagem não saia da minha cabeça, ele rindo macabramente com uma faca na mão, e minha perna estava sangrando, e eu teria de dar um fim nisso. E quando puxei de dentro de mim uma força, que eu mesmo não sabia que eu possuía, e fiz como via sempre meu pai fazer depois que terminava o serviço com a pá, enfiei bem na parte da garganta sem nem pensar uma segunda vez, e quando completo...
Quando eu realmente achei que tinha dado um fim a tudo, eu acordo....
Era tudo um pesadelo bem real, acordo e olho para meus amigos e um deles não está lá, e os outros estão em posições que não consigo ver seus rostos. A brisa vem da janela e deixa a porta entre-aberta assim como no pesadelo, e a luz entra no quarto novamente, só que agora ilumina a mim, como se fosse a última luz que eu vi na terra. Por deus, minha mão e roupa estavam ensanguentadas, mas aquele sangue não era meu, a porta abre mais um pouco agora por completa, e um rastro de sangue no chão do corredor, descendo as escadas até o quintal, um corpo, era aquele que achei que tinha matado o assassino, e quando avisto o corpo, subo para ver meus amigos, e 3 deles, com perfurações na garganta, outro com um travesseiro cobrindo o rosto e o estômago coberto de sangue. 
O que raios aconteceu, seria outro pesadelo?
Não dessa vez.... A imagem passa a mim como um programa de tv em frente aos meus olhos.
Eu sempre fui o assassino, eu sufoquei e matei, eu aniquilei todos meus amigos, mas por que razão?
Eu tenho algo dentro de mim... Algo que cobre melhor que uma máscara, mas por que tudo acabou assim?
A imagem se converte a alguém encostado no muro do corredor em frente a luz, um sorriso macabro vindo de alguém, como se eu estivesse se olhando no espelho, mas não sou eu ali, não aquele monstro que eu vejo, aquele que saboreia o sangue de seus amigos na ponta da faca, passando a língua lentamente.
Aquele que foi controlado desde o inicio e participou de uma enganação,
aquele que não sabe qual é o ponto final...


No interrogatório:

- Por quê fez isso?
- Não sei, na verdade tudo não passou de um sonho, um sonho louco e sangrento - um riso macabro é evadido pelo canto de sua boca como se tudo fosse uma piada sem graça.





E então?

Muito cuidado com o que sonha, pois pode ser 

REAL...







2 comentários:

Postar um comentário

 

Rust Hill Copyright © 2010 | Designed by: compartidisimo